Nunca antes na história

Ainda não falei de política neste blog, embora já venha fazendo isso no Twitter há algum tempo (como bem sabem os amigos que me seguem e já não aguentam mais, loucos pra que a eleição chegue logo). Mas hoje não vou resistir.

Eu trabalho na Petrobras. Meu pai trabalha na Petrobras há mais de 30 anos. Cresci fazendo colônia de férias na refinaria. Visitei por várias vezes, ainda criança, o prédio onde hoje trabalho, no Rio de Janeiro. Minha relação com a empresa e com o que ela representa vem de berço, quase literalmente.

Então, não é de forma isenta que digo que ontem foi um dia histórico. O dia em que realizamos a maior capitalização da história mundial, com captação de R$120 bilhões em mercado. O dia em que a bandeira do Brasil e o banner da Petrobras tremularam na frente da Bolsa de NY. A Bovespa passou a ser, com isso, a segunda maior do mundo.

E, no entanto, os jornais não deram o menor destaque a isso. Não foi capa da Veja, do Estadão, d’O Globo, da Folha de São Paulo. As únicas notícias sobre o tema, na UOL, falavam da queda das ações da Petrobras na Bovespa – curiosamente, o preço apontado como “queda” era exatamente o preço das ações oferecidas na capitalização.

Eu entendo que a grande mídia brasileira não goste do Lula e seu governo que, com todos os problemas, tem um cunho eminentemente social, voltado para a promoção das classes baixas, e pouco permeável aos interesses do capital. Entendo que as oligarquias – os Frias, os Civita, os Marinho – queiram preservar seus privilégios, e por isso se alinhem a um projeto mais condizente com esses objetivos.

Entendo isso tudo. Mas não consigo entender que esses veículos considerem que um evento como o ocorrido ontem seja uma questão de governo, e não, uma questão de Estado. Lula pode até ter buscado, em seu discurso, assumir o mérito por ter mantido a Petrobras como estatal, mas a Petrobras não foi privatizada, no goveno FHC, porque realmente não havia clima político para isso. Porque ela ainda é um grande símbolo nacional, uma empresa que os brasileiros, em pesquisas de opinião, disseram associar com a própria imagem do país.

Que essa empresa seja também lucrativa e respeitável, consistentemente bem colocada nos rankings de sustentabilidade, várias vezes apontada como empresa dos sonhos dos jovens, e, depois da capitalização, a 4ª maior empresa de petróleo do mundo, só a torna ainda mais motivo de orgulho.

E, no entanto, nada é dito. Da Petrobras só se fala do duto rompido – por uma escavadeira da prefeitura, não autorizada a realizar obras na região protegida. Ou de algum vazamento de óleo. Ou da perda de valor das ações.

Mas que fique registrado: não é pela falta de divulgação que a capitalização ocorrida ontem passa a ter menos significado. Foi um evento daqueles de encher o peito de orgulho, e aumentar ainda mais o otimismo com os rumos desse país.

Anúncios

16 comentários sobre “Nunca antes na história

    • E não devia, né? As pessoas fazem um fuzuê danado, mas a eleição do Tiririca tem um impacto muito limitado, e muito menor do que essa história da Petrobras. Mas pra que falar do que tá bom, vamos falar do pitoresco, do curioso, do assustador…

  1. Deborah, adorei o texto e assino embaixo. Também acredito na nossa empresa e muitas vezes fico p…da vida com a midia brasileira que nem sempre reconhece a grandiosidade da empresa que é um simbolo nacional, que quebrou o monopólio e hoje está colcocada com uma das melhores no ranking mundial das petrolíferas. Mais uma vez.,parabéns! Bjs. Tati.

  2. Como já falei lá no Facebook, muito bom seu texto, Deborah! Aproveito pra reforçar aqui e falar que o “resto” do blog (que eu não sabia existir…) também é muito bacana. Passarei a acompanhá-lo, ok?

    Sobre o assunto “oligarquias/imprensa marrom”, dá uma olhada depois num post recente do Azenha: http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/obama-inimigo-dos-estados-unidos-governa-tomado-por-espirito-de-bebado-e-poligamo.html. Acho que vc vai gostar.

    Bjos,

    João

    • Ri, o que foi matéria da capa foi a União retomar 48% do controle da Petrobras, e, mesmo assim, naquele tom que a gente conhece, né?

      “Ações da empresa estreiam com instabilidade e caem até 2,19% na Bolsa de Nova York em dia de revisão do otimismo”

      “O governo Lula deve sair da capitalização da Petrobras, a mais ambiciosa parceria feita com as finanças globais, sem atingir a meta de alcançar 50% do capital da companhia, como ocorria até o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).”

      “Apesar do sucesso da operação, as novas ações estrearam ontem na Bolsa de Nova York com uma dose de ceticismo dos investidores.”

      Eles estavam mais preocupados em dizer que o governo não conseguiu atingir mais de 50% de participação, do que em enfatizar o tamanho e a relevância da operação…

  3. Déborah,
    Tb adorei o texto. Muito legal! Bem vinda a vida adulta!!! Fico feliz de ver vc crescendo em todos os aspectos…Sucesso nesta cidade maravilhosa e que me deixa muito saudosa deste astral do Rio..
    Amo a minha cidade, apesar de todos os problemas, mas esse astral não tem igual!!
    Bj,
    Kátia

    • Obrigada, Kátia! Tem sido um belo desafio, mas estou curtindo muito. A fase mais assustadora já passou, e agora os probleminhas aparecem, mas são cada vez mais fáceis de incorporar no cotidiano. E a cidade é linda, acolhedora, uma delícia. Beijo!

  4. Concordo com vc!
    Sou filha da revolução, tenho um senso de patriotismo que não vejo mais e a mídia é podre e tendenciosa na maioria das vezes.
    Toda vez que vejo nosso país se destacando, seja na ciência, nos esportes, numa empresa de grande porte, eu sinto orgulho.
    Que fique registrado que eu detesto política, mas ainda sonho com uma administração melhor pro nosso país…
    Beijos!!

    • Quem sabe, né, Jade? Acho que, devagarzinho, a gente vai chegando lá. “Os melhores e mais fundos milagres”, como diz meu amigo Paulo Mendes Campos, “não acontecem de repente, mas devagar, muito devagar”.

      Eu hoje acredito que o Brasil tem jeito, sim, e que não é mais só um país do futuro. Nosso tempo é agora. Citando outro mineiro célebre, “o tempo presente, os homens presentes, a vida presente”.

    • Tinha imaginado, acontece nas melhores famílias =)

      Aliás, vi pelo seu IP que você também trabalha na Petro, né? Nem sabia. Eu sou do Jurídico de Finanças e Contabilidade, então vi a capitalização acontecendo de perto, a enormidade que foi a coisa, a trabalheira envolvida, e como isso foi repercutido lá fora.

      Não teve como não escrever sobre isso, quando vi como a coisa passou ao largo, aqui. Só tive que fazer um mea culpa, porque a Falha, ops, Folha, realmente deu a capa no sábado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s